Saúde Capilar.VIP - Helainy de Araujo Devos

Você Conhece a “Síndrome do Cabelo Impenteável”?

A síndrome do cabelo impenteável é causada por uma mutação genética e caracterizada por cabelos secos e crespos. Normalmente, as crianças afetadas possuem cabelos louros e o diagnóstico costuma ser feito até os 12 anos de idade.  

Estudos apontam que a síndrome do cabelo impenteável conta com apenas 100 casos diagnosticados em todo o mundo. Mesmo assim, é uma curiosidade sobre cabelos que vale a pena conhecer. Vale ressaltar que essa quantidade corresponde aos casos registados e acompanhados por especialistas.  Provavelmente existem casos que não chegaram ao conhecimento dos mesmos.  

Se quando os cabelos ficam rebeldes e difíceis de pentear a maioria das mulheres sofre, imagine se o problema for uma anomalia genética? 

A maior parte dos casos em que os cabelos são rebeldes pode ser resolvida com o emprego correto de tratamentos específicos e cuidados diários. 

No entanto, a síndrome do cabelo impenteável é causada por fatores genéticos e não tem cura. A mesma é causada por uma alteração genética em que os fios sofrem mudanças em sua estrutura. Em vez dos feixes de queratina seguirem uma ordem estrutural, os fios crescem tortos e desordenados. 

Por isso, controlar a aparência do cabelo é uma missão praticamente impossível. Os dentes do pente simplesmente não passam devido a estrutura que leva os fios a sentidos variados. 

No geral, quem sofre com a síndrome do cabelo impenteável são meninas que ficam com os cabelos apontados para cima, tal como nos tempos em que o pente não existia. Esses fios costumam ser bem claros, praticamente na cor palha, e crescem cada um em sentido diferente do outro. 

Se tivermos a oportunidade de visualizar a estrutura desses fios em microscópio, será possível identificar que são repletos de ranhuras. Muito diferentes dos cabelos normais, que contam com uma sequência lisa composta por queratina. 

Entre o final do século 19 e a primeira metade do século 20, o diagnóstico da síndrome do cabelo impenteável não existia. Talvez por isso, não houve tempo hábil para diagnosticar corretamente o físico Albert Einstein, pois existe quem defenda atualmente que Einstein era um dos portadores dessa síndrome. Seus cabelos arrepiados, tão característicos e sugestivos para a sua imagem criada de “gênio louco”, podem ter sido resultado dessa desordem genética.

Espalhe a paixão

Deixe uma resposta

Junte-se ao clube!

Uma vez por mês enviaremos a você as últimas notícias do Saude Capilar.VIP para ajudá-lo a aprender tudo sobre cabelos. Dicas, novas técnicas, novos produtos, novos fabricantes, últimas tendências e muito mais.
Sim, é totalmente grátis